PERFIL EPIDEMIOLÓGICO DOS ACIDENTES COM ESCORPIÕES EM PALMAS-TO

  • OSEIAS GOMES CARDOSO Itop
Palavras-chave: Epidemiologia, acidentes com escorpiões, cidade de Palmas.

Resumo

Os acidentes com animais peçonhentos têm demonstrado um grande impacto na saúde pública, tendo a sua maior incidência em países tropicais, ou subtropicais, esses tipos de acidentes segundo a OMS Organização Mundial de Saúde, foram consideradas na lista de Doenças Tropicais Negligenciadas. O estudo é de caráter transversal descritivo, retrospectivo e epidemiológico. Foi realizado o levantamento dos acidentes com escorpiões em Palmas -TO, que foram notificados entre 2014 e 2019 ao Sistema de Informação de Agravos de Notificação (SINAN). Nota-se que nesse período foram notificados 5.664 casos de acidentes com escorpiões no Tocantins, e em Palmas 1.542 casos, que descreve 27,22% dos casos do Estado. Ainda assim, o maior número de casos de acidentes é acometido em pessoas do sexo feminino que indica 52,52%. Levando em consideração o período analisado por ano, em média, ocorreram 257 casos de acidentes com escorpiões em Palmas. A taxa de letalidade no período analisado demonstrou que os acidentes representam um índice de letalidade de 0,064%. Conforme os dados analisados nos últimos 6 anos, casos leves representam 78,46%, os casos ignorados e em branco, são aqueles de natureza que não foi especificado, que representam 0,45% dos casos, moderados 20,62% dos casos, são aqueles que evoluíram para complicações moderadas, sem complicações graves. As complicações graves conferem 0,45% dos casos registrados no período de 2014 a 2019. A vigilância epidemiológica torna-se cada vez mais essencial na construção de medidas e estratégias em saúde para controle e redução dos acidentes envolvendo esses tipos de animais.

Referências

Amazônia, Repórter.Espécie perigosa de escorpião é encontrada pela primeira vez
em Palmas, 2018.disponível em: https://radios.ebc.com.br/reporteramazonia/2018/07/especie-perigosa-de-escorpiao-e-encontrada-pela-primeira-vezem-palmas. acesso em:13 de maio 2020.
BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de controle de escorpiões. Brasília: 2009.
BRASIL. Ministério da saúde.Picada de escorpião: saiba os cuidados e o que fazer
em caso de acidente, 2019. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/ultimasnoticias/2868-picada-de-escorpiao-saiba-os-cuidados-e-o-que-fazer-em-caso-deacidente-2. Acesso: 12 de maio 2020.
BRASIL. Ministério da saúde. Acidentes por animais peçonhentos - Escorpião, 2017.
Disponivel em: https://www.saude.gov.br/saude-de-a-z/acidentes-por-animaispeconhentos-escorpiao. Acesso: 11 de maio 2020.
BRASIL. Ministério da saúde.Vigilância em saúde.Brasília: 2009 .
BRASIL. Ministério da Saúde,DATASUS, 2020. Disponivel em:
http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/index.php?area=0203&id=29878153&VObj=h
ttp://tabnet.datasus.gov.br/cgi/deftohtm.exe?sinannet/cnv/animais. Acesso em: 10 de
maio 2020.
BRASIL. Bvsms. Picada de escorpião: saiba os cuidados e o que fazer em caso de
acidente,2019. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/ultimas-noticias/2868-
picada-de-escorpiao-saiba-os-cuidados-e-o-que-fazer-em-caso-de-acidente-2.
Acesso em: 18 de maio de 2020.
GUTIÉRREZ JM, Theakston RDG, Warrell, D. Confronting the Neglected Problem of
Snake Bite Envenoming: The Need for a Global Partnership. Plos Medicine, 2006 v.
3, n. 6, p.727-731.
MORAES, Paula Louredo. animais peçonhentos, 2019. Disponível
em:https://mundoeducacao.uol.com.br/biologia/animais-peconhentos.htm. acesso
em: 12 maio de 2020.
ROUQUAYROL, M. Zélia. Epidemiologia & Saúde. Rio de Janeiro: Medsi Editora
Médica e Científica Ltda. 1994. 527 p.14 .2020.
UNIFESP. Telessaúde São Paulo. Acidentes com escorpiões2017. Disponível em:
https://www.telessaude.unifesp.br/index.php/dno/redes-sociais/96-acidentes-comescorpioes. Acesso em 28 de novembro de 2020.
UNIFESP. Acidentes por escorpiões, 2019.Disponível
em:https://www.unifesp.br/reitoria/dci/releases/item/4096-acidentes-por-escorpioes.
Acesso em 28 de novembro de 2020.
Publicado
2021-06-21